Categorias
Contabilidade Integrada

COMO A CULTURA ORGANIZACIONAL INFLUENCIA DIRETAMENTE A MOTIVAÇÃO E AS METAS PROPOSTAS POR UMA EMPRESA

Podemos definir cultura organizacional, como um conjunto de regras, valores e ações que direcionam uma organização em suas ações diárias. Uma cultura organizacional eficiente traz mais objetividade, produtividade e sintonia entre os colaboradores.

Cada vez mais os atuais funcionários vêm buscando junto às organizações nas quais trabalham algo além que estabilidade profissional e um bom salário, a nova geração colaboradores almejam trabalhar em companhias que os permitem crescer como indivíduo, como profissional, ter autonomia e poder de decisão. Uma boa estratégia para manter seu negócio ativo, motivado, com alto poder de produtividade e alcançando as metas impostas, é envolver os colaboradores em uma boa cultura organizacional.

Existem algumas ações que podem ajudar você empresário a modernizar ou até mesmo criar uma boa cultura em seu ambiente de trabalho. 

Uma delas é dar voz a seus colaborados. Muitos profissionais tem o desejo de serem ouvidos pela empresa, dando opiniões que possam ajudar no desenvolvimento produtivo e no aprimoramento das atividades internas.

Adotar feedback. Dentro de uma empresa é extremamente importante que a relação entre “patrão e empregado” seja justa. O feedback bem empregado, direciona o colaborador no sentido de como as atividades executadas por ele estão sendo avaliadas. É de extrema importância que se oriente quando a atividade não esteja sendo bem executada e que se elogie quando existe êxito na execução. 

Cuidar do clima organizacional também é uma ótima alternativa. Manter o clima de sua empresa harmonioso, cooperativo e organizado influencia diretamente nos resultados  e na qualidade de vida dos funcionários. 

Categorias
Contabilidade Integrada

DECISÃO DO STF QUE RETIRA O ICMS DO CÁLCULO DO PIS E COFINS.

No dia 13 de abril o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu sobre a exclusão do ICMS sobre a base de cálculo do PIS e da COFINS.

O que são esses impostos e quais suas finalidades?

O ICMS (Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) é um imposto estadual, que incide sobre a circulação de mercadorias e prestação de serviço.

O PIS (Programa de Integração Social) é um tributo federal pago pelas empresas para compor benefícios aos trabalhadores do setor privado.

A COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) é um tributo federal pago por empresas, destinados à previdência social, a saúde pública e assistência social.

Em 2017 o STF definiu que para o cálculo de PIS e COFINS, devem ser excluídos os valores pagos de ICMS. No dia 15/03/2021 o tribunal reiterou que a regra passa a valer de março de 2017 em diante.

Isso significa que as empresa que pagaram PIS e Confins usando ICMS tem direito a restituição dos valores pagos a mais. 

Essa decisão recai diretamente sobre as empresas optantes pelo regime de tributação do Lucro Real e Lucro Presumido, uma vez que, as mesmas estão no “sistema de débito e crédito”.

Os contribuintes que ainda não ingressaram em juízo devem reclamar imediatamente seus direitos, buscando deixar de pagar em suas transações o PIS e COFINS tendo o ICMS em sua base de cálculo, e receber o que pagou a maior limitada a data de retroação de 15/03/2017. 

Categorias
Contabilidade Integrada

CONTROLADORIA: UMA IMPORTANTE FERRAMENTA DE GESTÃO NAS EMPRESAS

Você já ouviu falar em controladoria? 

Atualmente diversas empresas já utilizam a controladoria como ferramenta de gestão, e a real necessidade no mercado empresarial está sensibilizando cada vez mais os empresários a adotarem e utilizarem a controladoria na gestão de suas empresas. 

Percebe-se claramente que anualmente milhares de novas empresas surgem no Brasil.  De acordo com Sebrae, mais de 90% do total das empresas ativas no país correspondem a micro e pequenas empresas, o que gera uma grande importância para estas, visto que 52% dos empregos e 27% da geração de riqueza do país são advindos destas organizações. 

Tendo como base esses dados, identifica-se que este grupo de empresas possuem dificuldades quanto a sua consolidação e manutenção no mercado, e fecham as portas em sua maioria antes mesmo de completarem o segundo ano de vida, devido à ausência de informações, decisões tomadas de forma subjetiva gerando falhas gerenciais, e consequentemente o fechamento destas. Identifica-se neste contexto, a necessidade de implantação de ferramentas importantes para a gestão empresarial destas empresas. Uma das importantes ferramentas a se aderir é a implantação de uma controladoria eficiente e eficaz. Visto que a controladoria tem por finalidade garantir informações adequadas ao processo decisório, colaborando com os gestores na busca pela eficácia gerencial.

Você sabia? 

A controladoria traz uma visão ampliada do negócio para os empresários, apresenta informações relevantes para definição das estratégias com o intuito de tornar a empresa cada vez mais competitiva e geradora de bons resultados.

A controladoria tem por objetivo otimizar os resultados econômicos da empresa por meio de um sistema de informações baseado em um modelo de gestão. 

Como funciona o sistema de informação da controladoria?

O sistema de informações consiste no cruzamento de dados financeiros, contábeis, fiscais e estatísticos com o objetivo de traçar um planejamento bem definido voltado para a melhoria nos resultados da empresa. No entanto, somente o levantamento de dados e a definição de objetivos e metas não são suficientes para que benefícios efetivos e duradouros sejam alcançados, existe a real necessidade de um profissional focado no acompanhamento das ações, nas análises dos resultados, na mensuração de indicadores financeiros e de desempenho, este profissional é chamado de controller.

Controller, qual seu papel na controladoria das empresas? 

O controller é um profissional fundamental na gestão das grandes empresas. Tem como responsabilidade coordenar os processos de gestão econômica, financeira e patrimonial, realizando um estudo tanto do ambiente interno como do externo.

As atribuições de um controller são: planejar, organizar e desenvolver planos econômicos-financeiros, analisar informações contábeis e de performance para reduzir perdas, aumentar o lucro e acompanhar projeções de faturamento, definir diretrizes que estejam alinhadas ao planejamento econômico e estratégico da empresa. 

Atualmente o profissional controller é destaque no âmbito empresarial, pois este atua como um defensor dentro de uma empresa. É o profissional que garante a liquidez de ativos e passivos e, mais do que isso, trabalha o tempo inteiro para exigir a rentabilização do capital social. Ele nada mais é do que um agente de controles dentro da empresa.

É importante ressaltar ainda que a controladoria é um conjunto de atividades que atua com métodos da contabilidade e da administração entre outras áreas, que otimizam a gestão financeira das empresas, estruturada com base no processo decisório, passando pelas etapas de planejamento, execução e controle.

Visando que a tarefa de administrar uma organização tem se tornado cada vez mais complexa, seja por fatores internos como crescimento da empresa, fatores gerenciais, valores, metas ou fatores externos como situações sazonais de crise econômica ou contingências que influenciam diretamente no consumo das pessoas, concorrência, exigências legais, dentre outras dificuldades. Surge, assim, a necessidade de uma administração de informações cada vez mais completa e objetiva. A controladoria, com destaque ao Controller, tem a capacidade e tarefa de articular informações integradas junto à outros setores a fim de subsidiar decisões da diretoria e gestores da empresa.

E você empresário, já pensou em ter uma controladoria atuante em sua empresa?  

RIMA ASSESORIA CONTÁBIL, experiência e informação ao seu alcance.

Categorias
Contabilidade Integrada

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES (IPVA)

Muitos são os questionamentos e curiosidades sobre o IPVA. 

O IPVA é uma obrigação a ser paga anualmente por quem possui um veículo.

Por conta dessa recorrência, é um item que tem grande importância no planejamento financeiro de muitas famílias.

Você sabia? O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, o IPVA, surgiu como substituto da antiga Taxa Rodoviária Única, a TRU, introduzida no ordenamento jurídico brasileiro em 1969, e vinculada ao crescimento das rodovias nacionais no contexto de sua criação, de forma que financiava os custos das rodovias.

Ainda que denominado “taxa”, é importante ressaltar que não possuía valor fixo para todos os veículos, mas sim gravava a propriedade dos veículos em razão de seu valor e de sua origem.

Mas, ao longo do tempo, as obras foram sendo finalizadas, e a demanda pelo dinheiro arrecadado diminuiu e a TRU foi extinta, decorrendo na implantação do IPVA, uma vez que, por se tratar de imposto, não teria vinculação alguma.

O IPVA foi instituído pela Emenda Constitucional nº 27, de 28 de novembro de 1985 entrando em vigor o ano seguinte, o imposto é de responsabilidade dos estados e do Distrito Federal, sendo que estes entes federativos ficam com 50% dos valores arrecadados. Os outros 50% são destinados aos municípios onde os veículos são registrados, conforme previsão existente na Constituição Federal.

Apesar do nome do imposto, ele incide apenas sobre veículos que transitam por meio terrestre. Ou seja, carromotocaminhãoônibusmicro-ônibusmáquina agrícolaciclomotor e afins. 

O IPVA não incide, portanto, sobre veículos que se deslocam por água – como iates, barcos e navios – nem pelo ar – como aviões e helicópteros.

Sobre o valor do IPVA, por ser um imposto estadual, cabe a estes determinarem a alíquota cobrada. Atualmente, São Paulo e Minas Gerais são os estados com a maior taxa praticada, que chega até a 4% sobre o valor de venda.

É interessante ressaltar, que as alíquotas variam conforme o tipo de veículo e também sobre características como potência do motor, local de fabricação (nacional ou estrangeiro) e combustível utilizado. Essa distinção é usada também como instrumento de política pública. Há estados que reduzem o imposto de veículos movidos a eletricidade e etanol, por exemplo, como forma de incentivar seu uso, para reduzir a poluição do ar.

E a referência de preços de venda como funciona? De modo geral a referência de preços de venda de veículos usada é a Tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). O levantamento é publicado mensalmente pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas e traz a média dos valores de venda de automóveis novos, seminovos e usados praticados no Brasil. A tabela diferencia veículos por:

  • Marca;
  • Modelo;
  • Ano de fabricação;
  • Pagamento do imposto.

Os estados são os responsáveis por definir as regras de pagamento. Entre elas, o calendário, eventuais parcelamentos e a forma de cobrança. Esses detalhes geralmente são definidas pela Secretária da Fazenda de cada governo.

Atenção! A falta de pagamento do imposto torna o proprietário devedor perante o estado, podendo ser classificado como inadimplente nessa esfera de governo. Por isso, estar atento às regras do imposto é importante para o planejamento das finanças pessoais de quem tem veículo.

Uma das consequências do não pagamento é o impedimento da renovação do registro anual. Circular com veículo sem o devido registro atualizado é passível de multa e pontos na CNH. 

Lembrando que a definição de datas de vencimento segundo o dígito final da placa do veículo. 

Você sabia? Que pagando a sua parcela do IPVA em cota única, você ganha 3% de desconto.  

Em 2021, a escala de pagamento começa no dia 18 de janeiro e termina dia 24 de março. 

Tabela do IPVA 2021 em MG; veja datas

Em 2021, o seguro DPVAT não será cobrado, este foi aprovado pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), vinculado ao Ministério da Economia.  

A emissão das guias de pagamento já estão liberadas, regularize seu veículo com a RIMA ASSESORIA CONTÁBIL, experiência e informação ao seu alcance. 

Categorias
Contabilidade Integrada

ANO NOVO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE DOS NÚMEROS

Diante de uma nova etapa ou ciclo que se inicia, muitos são os planejamentos a se realizar. 

Ano novo desperta um momento de reflexão sobre: onde você está? Como você está? Onde pretende chegar? Como pretende chegar? 

Essas reflexões não se direcionam somente para a situação da vida pessoal, mas inúmeras vezes para a reflexão da vida profissional e empresarial. 

Como está o seu planejamento para 2021? E da sua empresa?

Planejar nada mais é do que criar um plano para alcançar determinado objetivo. Estratégia seria como uma “arte” de explorar as melhores condições para chegar também a um objetivo.

Vamos entender o que é planejamento?

Planejamento é o ato de planejar, que consiste em, estudar antecipadamente o cenário de uma ação ou atividade, definindo os objetivos a serem atingidos, e identificando os meios, as ações e estratégias necessárias para o alcance desses objetivos.

De acordo com Maximiano (2004) o planejamento é o processo de tomar decisões sobre o futuro. Planejar, significa interpretar a missão organizacional e estabelecer os objetivos da organização, bem como os meios necessários para a realização desses objetivos com o máximo de eficácia e eficiência. 

De um modo geral, pode-se dizer que os objetivos do Planejamento Estratégico são: orientar e reorientar a empresa na busca por melhores resultados, levando em consideração análises do passado, do presente e projeções para o futuro.

Chegou a hora de encarar os números apresentados em 2020, e focar nos números em 2021. O ano de 2020 apresentou para as empresas brasileiras um cenário atípico, visto que a pandemia do coronavírus afetou a rotina e gerou um impacto na vida financeira das empresas, de uma lado identificamos mercados sendo aquecidos, e de outro lado identificamos a retração. 

Além do impacto citado anteriormente na vida financeira das empresas, gerou também outro impacto, porém de forma positiva, o amadurecimento, o aprendizado, a inovação e o crescimento profissional, foram e estão sendo tempos de análises minuciosas sobre números, reduções e investimentos. 

Planejar o ano de 2021, se faz necessário inserir em uma das metas: a necessária reinvenção dos negócios e o estudo de viabilidade. 

Vale ressaltar que este estudo deve estar pautado em números para que as decisões que afetam o caixa da empresa sejam tomadas de forma assertiva. 

E é nesse momento que entra o importante papel da contabilidade. Visto que o contador tem dados extremamente importantes sobre a gestão da sua empresa.

Deste modo, a assessoria contábil gera informação, que aliada a avaliação e análise, é possível demonstrar a aplicação de natureza econômica, financeira, física e em muitos casos até produtiva da empresa. 

Atenção! É preciso estar atendo às mudanças de cenário, pois desta forma garantirá a segurança que o seu negócio precisa para crescer em 2021. 

Visando uma relação de confiança entre gestão e contabilidade, você empresário terá muitos motivos para agradecer! 

Tenha sempre ao seu lado uma competente Contabilidade Consultiva que agrega valor ao seu negócio!

REFERÊNCIA

MAXIMIANO, A. Fundamentos de Administração, São Paulo: Atlas. 2004.

Categorias
Contabilidade Integrada

FECHAMENTO DO ANO FISCAL: VOCÊ JÁ ESTÁ SE PREPARANDO?

Final de ano chegando, e você já está se preparando para o fechamento do seu ano fiscal? Vamos falar sobre esse assunto muito importante.

Já estamos próximos do encerramento de mais um ano, apesar do clima de festa, não podemos nos esquecer de que esse é um momento muito delicado para as empresas. 

Você sabia? O ano fiscal é o período em que a empresa deve contabilizar e apurar suas receitas e despesas, sendo comum a divisão em quatro trimestres, ou fechamento mensal, já que isso auxilia o acompanhamento das oscilações de desempenho, do fluxo de caixa e demais dados financeiros do negócio. Portanto, ele está intimamente ligado ao conceito de fechamento contábil, que se trata de uma rotina periódica realizada para atestar que todos os relatórios, registros e gráficos contábeis foram elaborados corretamente.

Quando se tratar de encerrar o exercício social lembre-se essa é uma tarefa obrigatória para as empresas, e as mesmas devem aproveitar a ocasião para realizar o planejamento financeiro e rever a sua situação patrimonial. 

Um ponto muito importante nesse momento é a integração com a contabilidade. Essa integração se torna ainda mais intensa, já que esse é o setor responsável por apresentar todas as demonstrações contábeis e financeiras da empresa.

Muitas vezes nem sempre os empresários sabem exatamente quais são todas as suas responsabilidades nesse período e, embora a responsabilidade pela execução dessas tarefas seja da contabilidade, é fundamental o empresário saber exatamente o que deve ser feito e acompanhar seus resultados. 

O primeiro passo para conseguir fechar o ano fiscal de maneira exemplar é organizar sua escrituração contábil.

Confira abaixo as três principais obrigações dos contadores no fim do ano. Vamos conferir cada uma delas?

  • Demonstrativos financeiros do exercício

O encerramento dos demonstrativos financeiros do exercício talvez seja uma das maiores responsabilidades da contabilidade nesse período, pois, além de fornecerem informações valiosas para que o empreendedor realize o seu planejamento financeiro ou, também, o estratégico serve para que a empresa apresente relatórios para o fisco e fique em dia com os seus tributos.

Dentre os demonstrativos, pode-se destacar como principais: o Balanço Patrimonial, o Demonstrativo de fluxos de caixa, o demonstrativo de lucros e prejuízos e, finalmente, a declaração de ganhos retidos. A atualização dos livros contábeis, como o Razão e o Diário, também são essenciais e, em alguns casos, obrigatória por lei. Portanto, converse sempre com o seu contador quais são as prioridades nessas demonstrações. Eis aí, a importância de se ter uma assessoria contábil, firmada no compromisso de se ter uma contabilidade consultiva. 

  • Cálculo e pagamento do décimo terceiro

A contabilidade deve participar ativamente do processo de pagamento do décimo terceiro salário, pois, além dos cálculos serem muitas vezes complicados para o empreendedor se tornando mais difíceis à medida que a empresa cresce existem uma série de outras obrigações acessórias que devem ser atendidas para que a organização fique em dia com o Fisco.

Embora essa seja considerada uma responsabilidade de fim de ano, é fundamental que o contador elabore todos os cálculos das despesas com décimo terceiro previamente, para que a empresa tenha dados suficientes para planejar suas finanças e sua organização interna avaliando, por exemplo, a possibilidade de novas contratações ou de aumentos de salários para funcionários.

  • Planejamento estratégico

A contabilidade é uma peça-chave na elaboração do planejamento estratégico de um empreendimento, devendo sempre estar disponível para fornecer informações para o empreendedor durante esse período. Dentre essas informações, estão, por exemplo, a determinação do modelo de tributação que será escolhido para o próximo exercício social (Simples, lucro real ou lucro presumido, por exemplo), ou a situação patrimonial. 

Não se pode esquecer de que cada novo passo dado por uma organização pode representar uma série de despesas que normalmente passam despercebidas, como os encargos tributários. 

Estar ciente do cenário completo pode fazer com que a empresa tome decisões mais acuradas e, consequentemente, tenha muito mais chances de conseguir êxito nos seus investimentos. 

Lembre-se essa análise do final do ano fiscal pode ser feita junto com uma CONTABILIDADE CONSULTIVA, onde você EMPREENDEDOR pode esclarecer suas dúvidas e agregar VALOR para a sua EMPRESA. 

Categorias
Empreendedorismo

EMPREENDEDORISMO E EMPREENDEDOR: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

O que é empreendedorismo? Você se considera empreendedor (a)? O Empreendedorismo ao mesmo tempo que é desafiador é um gerador de infinitas oportunidades de crescimento pessoal e empresarial. 

Você sabia?  O empreendedorismo é a capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos. Muitas vezes, é denominado como a habilidade em criar e implementar mudanças, inovações e melhorias a um mercado ou negócio. O empreendedorismo trata da criatividade, solução de problemas e visão estratégica.  O empreendedorismo é a capacidade que uma pessoa tem de identificar problemas e oportunidades, desenvolver soluções e investir recursos na criação de algo positivo para a sociedade. Pode ser um negócio, um projeto ou mesmo um movimento que gere mudanças reais e impacto no cotidiano da vida das pessoas.

O conceito mais atual de empreendedorismo é aquele que trabalha para transformar seu conhecimento em riqueza. O empreendedorismo foca as pessoas e não as empresas, o comportamento empreendedor é que pode determinar o sucesso da empresa.

Você sabia? O Brasil apresenta grande potencial para o empreendedorismo. São 52 milhões de brasileiros se dedicando ao próprio negócio.

Considera-se um empreendedor um realizador que coloca em prática novas ideias, por meio de criatividade. Ou seja, mudar tudo o que já existe. Já viu aquelas pessoas que conseguem transformar crises em oportunidades e que influenciam os outros com suas ideias? Provavelmente são bons empreendedores.

Aproveitar as oportunidades do mercado e transformar crises em oportunidade não é só uma característica do empreendedor, é também uma característica do brasileiro.

De acordo com o SEBRAE (2020) algumas peculiaridades encontradas nos diversos perfis de empreendedores são:

  • Otimismo: não confunda otimista com sonhador. O otimista sempre espera o melhor e acredita que tudo vai dar certo no final, mas faz de tudo para chegar aos seus objetivos. Isso inclui, claro, mudanças em seu negócio. Já o sonhador não enxerga riscos, e mesmo que seu negócio esteja falindo, continua fazendo a mesma coisa por acreditar cegamente que basta sonhar para realizar.
  • Autoconfiança: acreditar em si mesmo é fundamental para valorizar seus próprios talentos e defender suas opiniões. Assim, esse tipo de empreendedor costuma arriscar mais.
  • Coragem: sem temer fracasso e rejeição, um empreendedor faz tudo o que for necessário para ser bem sucedido. Essa característica não impede que sejam cautelosos e precavidos contra o risco, mas os faz entender a possibilidade de falhar.
  • Persistência e resiliência: motivado, convicto e entusiasmado, um bom empreendedor pode resistir a todos os obstáculos até que as coisas finalmente entrem nos eixos. Ele não desiste facilmente, supera desafios e segue até o fim, sempre perseverante.

Vale ressaltar que quem reúne essas características já está em vantagem quando o assunto é empreendedorismo, mas isso não é suficiente. Para ter sucesso como empreendedor, em alguma atividade é fundamental ter um bom projeto, investir no planejamento e no plano de negócios. E você, como tem se dedicado?

DICAS PARA QUEM QUER EMPREENDER

De acordo com uma entrevista realizada para a Revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, Carlos Wizard Martins, lista suas dicas para quem quer empreender.

Você sabia? Carlos Wizard Martins começou do zero e se tornou um dos principais empresários do Brasil. O empreendedor fundou o Grupo Multi Holding, detentor do Mundo Verde líder da América Latina no segmento de produtos Naturais, Orgânicos e Bem-Estar, do serviço de pagamento online Akatus e do Vale Presente. 

Vamos então, conhecer as principais dicas de Wizard para quem quer empreender:

  • Definição de atividade: em qual segmento você quer atuar, tem afinidade ou entende um pouco sobre o mercado? A primeira dica do empresário é analisar as necessidades do consumidor e entender o que pode ser uma boa oportunidade. Evite investir em um tipo de negócio só porque está na moda, a tendência pode acabar e você terá que arcar com os custos do investimento. 
  • Diferenciação: ofereça uma diferenciação. O cliente precisa ter uma motivação para escolher o seu negócio e não o do concorrente. “Quando comecei a dar aulas, foquei na necessidade do aluno aprender a falar o inglês rapidamente. Foi por isso que lancei a chamada “Fale Inglês em 24 Horas”. Essa chamada simples, mas poderosa, foi o diferencial necessário para atrair milhares de alunos”, conta o empreendedor.
  • Escalar:  depois de definir a atividade empresarial do negócio, identifique quais ações podem ser tomadas para atender o mercado em larga escala. Quanto maior o potencial de escalabilidade da empresa, maiores serão suas chances de crescer, receber investimento etc.
  • Converse com especialistas: esteja por dentro dos eventos e atividades do seu segmento. Participe de feiras, workshops, palestras, busque os especialistas do setor e converse com eles. Ter a visão de outros profissionais vai te ajudar em diferentes aspectos, principalmente daqueles que estão há mais tempo no mercado. 

Se você identificou que possui perfil empreendedor e deseja empreender, podemos te auxiliar! E se você já está no caminho do empreendedorismo e está empreendendo, que tal analisar como você indo?

Lembre-se essa análise pode ser feita junto com uma CONTABILIDADE CONSULTIVA, onde você EMPREENDEDOR pode esclarecer suas dúvidas e agregar VALOR para a sua EMPRESA e para o seu perfil EMPREENDEDOR.  

Categorias
Contabilidade Integrada

CONTABILIDADE: CURIOSIDADES E DESCOBERTAS

Quem foi que disse que a contabilidade só se vive de números, planilhas, textos técnicos ou assuntos complexos ao mundo contábil. Os profissionais da contabilidade também tem um lado repleto de curiosidades. E de fato, esse é um lado que muita gente não conhece.

Toda empresa precisa de um Contador? Sim, é exatamente isso, nenhuma empresa funciona sem ter ao menos um Contador. Parece difícil encontrar uma profissão que seja unanimidade assim, não é mesmo? Para compreender melhor o porquê, vamos à explicação. Empresas necessitam de livros com documentos que provam suas emissões de notas fiscais, pagamentos de impostos, entre outros. A única pessoa habilitada a elaborar esse livro é o profissional de Ciências Contábeis registrado no Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

Contador ou contabilista? Você sabia que os dois profissionais fazem parte do universo da contabilidade, mas têm formações diferentes? Enquanto o contador é o nome dado aos estudantes que se formam no ensino superior, pelo curso de Ciências Contábeis, contabilista é utilizado para definir quem tem formação técnica na área.

Dia e padroeiro: Você sabia que no calendário, há pelo menos três, e cada uma delas com um significado:

  • 14 de janeiro: Dia do Empresário Contábil;
  • 25 de abril: Dia do Contabilista;
  • 22 de setembro: Dia do Contador.

Alguns calendários incluem ainda mais uma data, o dia 21 de setembro como o Dia de São Mateus, o padroeiro dos profissionais de contabilidade. Na Bíblia, São Mateus é conhecido como um dos doze discípulos, antes, ele era um cobrador de impostos. 

O contador mais querido do Brasil. Você sabia que o apresentador Silvio Santos é formado em Contabilidade? Senor Abravanel, o dono do SBT, é formado pela Escola Técnica de Comércio Amaro Cavalcanti. Hoje, além do seu carisma que o transformou em um dos comunicadores mais populares do Brasil, Silvio Santos conduz ainda um verdadeiro império no mundo dos negócios. Certamente, os conhecimentos de contabilidade que ele aprendeu ao longo da vida foram fundamentais para que ele chegasse onde chegou. 

Símbolo: Sobre o símbolo da contabilidade, este é formado por um bastão dourado entrelaçado por duas serpentes, com um elmo alado no topo. Recebe o nome de caduceu e é utilizado para representar equilíbrio moral e boa conduta. 

O Bastão: simboliza o poder de quem conhece a Ciência Contábil.

As Serpentes: simbolizam a sabedoria, isto é, estudar antes de agir e pensar sempre na melhor opção para o cliente.

As Asas: símbolo da diligência, fala sobre a agilidade, a dedicação e o cuidado ao exercer a profissão.

O Elmo: peça de armadura antiga que protegia a cabeça, significa a proteção aos pensamentos baixos que levam a ações desonestas.

Símbolos da Contabilidade - Só Contabilidade

Hino da Contabilidade: O Hino da Contabilidade foi criado na gestão do presidente Raulino Filho, com letra e música de Isis Maria M. Raposo Castelo Branco e interpretação de Lucia Alvino. Você conhece?

“Salve nossos contadores
que trabalham com valor,
e são grandes lutadores,
com esmero e com ardor,
ajudando nosso Brasil,
a crescer e se elevar,
com afeto varonil
para a pátria exaltar.

Procuremos todos unidos,
Nosso dever bem cumprir,
Elevando nossas finanças
A grandeza do porvir!

Seguindo as leis trabalharemos,
Com inteligência e prazer,
A vitória conquistaremos,
Para o progresso acontecer,
E teremos recompensados,
O esforço da união,
E teremos conquistado,
O respeito da nação.”

O Contador é apenas um especialista em imposto de renda? Você provavelmente já viu alguém pedir indicações de um bom Contador para poder declarar imposto de renda, não é mesmo? Pois não é apenas isso que essa profissão é capaz de fazer. 

O Contador é o profissional que trabalha com a área financeira, econômica e patrimonial das empresas. Ele é capaz de controlar todos os custos de uma empresa, fazer análise e cálculo de impostos, também é fundamental nas tomadas de decisão que envolve o capital da empresa, além de atuar nos setores fiscal, trabalhista, financeiro, entre outros. 

Que tal descobrir e redescobrir através da sua própria vivência, os benefícios de se ter uma CONTABILIDADE CONSULTIVA? Vai muito além dos NÚMEROS, uma ASSESSORIA CONTÁBIL!

Categorias
Contabilidade Integrada

COMO VOCÊ ESTÁ CUIDANDO DA SAÚDE FINANCEIRA DA SUA EMPRESA? PREVENIR É MELHOR QUE REMEDIAR

Você sabia que ter uma boa contabilidade é fruto do seu cuidado com a saúde financeira da sua empresa?  

Como você mantém a organização contábil na sua empresa?

Atenção! Se você não está mantendo uma excelente organização contábil é o mesmo que estar caminhando sem direção, logo se perderá rapidamente dentro dos processos de gerenciamento da sua empresa, e sem perceber, você direciona sua empresa para a falência. E isso não pode acontecer, pois sua empresa, é parte da vida que você projetou, sonhou, idealizou e conquistou.  

Já que prevenir é melhor que remediar, confira pontos importantes para você cuidar bem da saúde financeira da sua empresa. 

1º ponto importante: evite a procrastinação. Ou seja, é a ação de deixar as coisas para fazer depois, adiar ações. A procrastinação gera atraso, e todo atraso na área financeira e contábil, gera prejuízos financeiros, seja através de juros ou multas. Organize e mantenha os documentos da empresa em dia e faça o encaminhamento dos documentos necessários para a contabilidade dentro do prazo, para que não haja atrasos nas guias, lançamentos ou atividades contábeis necessárias. 

2º ponto importante: não contrate uma contabilidade somente por burocracia, contrate uma contabilidade consultiva que caminha ao seu lado, auxiliando em suas tomadas de decisão, planejamentos e análises financeiras. Uma contabilidade que consiga identificar seus pontos fortes e fracos voltados para a gestão financeira, contábil, fiscal e trabalhista da sua empresa.

Vale lembrar que saúde financeira é um ponto de equilíbrio entre receitas e despesas, de modo que não se tenham preocupações com problemas emergenciais que possam surgir a qualquer momento. 

3º ponto importante: separe cuidadosamente as contas da empresa das contas pessoais. Já perceberam que quando se abre uma empresa, não é por acaso que ela é chamada de pessoa jurídica, ou seja, a partir daí existe uma pessoa física com seus compromissos financeiros e uma pessoa jurídica que também possui seus compromissos financeiros. Por isso, é muito importante separar as contas para evitar que uma utilize os recursos da outra, sem saber exatamente a finalidade do dinheiro de ambas as partes.

4º ponto importante: Realize um bom planejamento e faça bons investimentos. Ter controle sobre os gastos e despesas exige um bom planejamento. Quando uma empresa quer crescer, automaticamente ela precisa de forma cuidadosa saber investir, ou seja, aprender a aplicar capital, recursos e esforços. 

5º ponto importante: Faça um bom planejamento tributário. O planejamento tributário é primordial para a gestão adequada dos impostos e escolha do regime tributário, além de identificar oportunidades de economia dentro da lei. A partir desse instrumento construído com o suporte contábil, é possível reduzir os impostos e encargos. Com isso, a empresa se torna mais competitiva, já que é capaz de estabelecer preços menores e fazer investimentos maiores. 

SAÚDE FINANCEIRA: REFLEXÃO

Refletir sobre onde você está e onde pretende chegar, é um passo muito importante para o gerenciamento do seu negócio. Você já se questionou sobre:

  1. Será que tenho dinheiro suficiente para pagar minhas contas?
  2. Será que eu tenho estoque suficiente para atender demandas futuras?
  3. Eu tenho muito dinheiro a receber que não entra no caixa?
  4. Minhas vendas estão saindo de acordo com minhas projeções?
  5. Como está meu índice de faturamento?
  6. Como estão meus prazos de recebimento?
  7. Há endividamentos na empresa, como está o planejamento financeiro?
  8. Tenho um fundo de emergência?
  9. Realizo análises de crescimento e percas financeiras, se sim, como? 
  10.  Estou ciente de como está a saúde financeira da minha empresa? Prevenindo ou remediando? O que tenho feito para prevenir, ou onde posso buscar ajuda profissional para remediar? 

Pensar na saúde financeira da sua empresa se torna mais leve, quando se tem uma contabilidade ativa e consultiva que orienta, ensina e analisa junto com você empresário, a real situação financeira, contábil, fiscal e trabalhista da sua empresa! Você não está sozinho, a sua preocupação é também a nossa! 

Categorias
Contabilidade Integrada

SUA EMPRESA ESTÁ PAGANDO MAIS TRIBUTOS DO QUE DEVERIA?

Você sabia? A maior parte das empresas optantes pelo SIMPLES NACIONAL não usufruem do direito de análise da RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO, este que se dá por meio da restituição ou da compensação, vistos que são instrumentos previstos na legislação brasileira em função da complexidade do sistema tributário nacional. 

Uma dúvida frequente dos empresários é: quando ocorre a RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO TRIBUTÁRIO? 

A RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO TRIBUTÁRIO em qualquer regime de tributação, a exemplo do Simples nacional, ocorre quando o sujeito passivo, ou seja, o (contribuinte) sendo Pessoa Física ou Jurídica, tem o direito de reaver, ou seja, receber de volta os valores dos tributos pagos indevidamente ou a maior, através dos institutos da restituição ou da compensação. A recuperação de crédito tributário, ocorre tanto na esfera administrativa, quanto na esfera judicial.

Mas, o que é CRÉDITO TRIBUTÁRIO? O CRÉDITO TRIBUTÁRIO corresponde ao valor do tributo que é devido pelo sujeito passivo de uma obrigação tributária ao sujeito ativo.

Mas, quem é o sujeito passivo?  O sujeito passivo na relação tributária é representado pelo contribuinte, pessoa física ou jurídica. Por outro lado, o sujeito ativo, é o ente público que tem o direito legal de cobrar o tributo, tais como, União, Estados, Municípios e o Distrito Federal.

Quando se trata de RECUPERAR CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS, entende-se que este é um instrumento previsto em lei e tem como uma das finalidades, reforçar o caixa das empresas, sobretudo, em momentos de crise econômica, a exemplo do que acontece atualmente no Brasil.

Seguindo esse raciocínio sobre RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO TRIBUTÁRIO, surge uma nova dúvida, este é um direito assegurado a quem?

A RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO TRIBUTÁRIO é um direito assegurado aos contribuintes, por meio do CTN – Código Tributário Nacional, assim como, através de Instruções Normativas da própria Receita Federal do Brasil.

COMO FUNCIONA A PRESCRIÇÃO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS?

As principais dúvidas foram ressaltadas, tais como: existe algum prazo para requerer a devolução do valor do tributo? A prescrição está prevista em qual artigo do CNT (Código Tributário Nacional)? Como proceder após o levantamento dos impostos pagos indevidamente? Como a empresa fará seu pedido? 

Em relação ao prazo para requerer a devolução do valor do tributo, o contribuinte terá o prazo de até cinco anos para requerer a devolução do valor do tributo que foi pago indevido ou a maior, ou seja, a empresa poderá solicitar a devolução do que foi pago de forma equivocada em relação aos últimos cinco anos, passado este prazo, não terá mais direito à restituição ou a compensação, em função da prescrição (perda do direito).

No caso da prescrição, a mesma está prevista no artigo 168 do CTN (Código Tributário Nacional). É importante frisar que a contagem do prazo tem início a partir da data em que o crédito tributário foi constituído.

Através do levantamento dos impostos pagos indevidamente ou a maior, por meio de uma revisão fiscal, o contribuinte detectará os valores dos tributos pagos de maneira equivocada ou em quantias superiores aos exigidos pelo fisco, durante o período de cinco anos e terá o direito de receber de volta na forma de restituição ou de compensação.

Sobre a dúvida de como a empresa fará seu pedido, verifica-se que após a apuração dos valores dos créditos tributários que a empresa tem direito a receber, a empresa decidirá se fará o pedido de restituição ou de compensação, seja qual for a decisão, a solicitação será realizada diretamente no portal do Simples Nacional. Os valores restituídos e compensados requeridos junto à Receita Federal serão corrigidos pela taxa Selic. Caso faça opção pela restituição em até sessenta dias a Receita Federal fará o crédito diretamente na conta corrente da empresa solicitante.

Após essa análise, retomamos a uma importante pergunta: SUA EMPRESA ESTÁ PAGANDO MAIS TRIBUTOS DO QUE DEVERIA? Você faz essa análise constantemente? Tem dúvidas de como realizar esse levantamento?

Fique ligado, essa análise pode ser feita junto com uma CONTABILIDADE CONSULTIVA, onde você EMPRESÁRIO pode esclarecer suas dúvidas e agregar VALOR para a sua EMPRESA. 

REFERÊNCIA 

BRASIL. Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966. Código Tributário Nacional. Brasília: Senado, 1966.